Você é Ligador ou Recebedor? Antecipa ou Espera? Resolve ou Transfere? Empurra ou Planeja? Só Copia ou também Cria? Você está ocupado ou preocupado com a qualidade dos processos de Recursos Humanos?

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Desenvolvimento de RH deve ser, essencialmente, um Facilitador e possuir inteligência aguçada para todas as coisas!

Há umas décadas atrás, a área de RH passou a ser entendida como composição de dois núcleos distintos, Administração de Recursos Humanos e Desenvolvimento de  Recursos Humanos. Como Administração de RH, entendem-se as atividades que tem no fundamento legal suas bases e, como Desenvolvimento de RH, entende-se como o “laboratório” de projetos de gestão de pessoas. O núcleo de Administração de RH tem como escopo principal o processamento da folha de pagamento, o recolhimento de impostos e de encargos sociais, a organização da documentação e registro de empregados e, em muitas empresas, a organização das atividades de Medicina e Segurança do Trabalho. Já o núcleo de Desenvolvimento de RH tem como escopo principal o processo de criação com sustentabilidade técnica e respeitando, quando necessário, as questões legais. 

Em Desenvolvimento as porteiras estão sempre abertas para ideias e projetos em Treinamento, Recrutamento e Seleção, Remuneração, Comunicação e Benefícios e temas pertinentes.

Hoje em dia  a área de Desenvolvimento ficou reduzida ao mínimo necessário no entender de cada empresa. Profissionais que antes lidavam com o dia a dia de suas empresas e desenvolviam suas ideias e seus projetos através de conhecimento próprio e/ou empírico, pesquisas na web (quando surgiu) e/ou em literatura disponível e cursos realizados, hoje não mais existem na maioria das empresas.

Em compensação, a disposição para organizar festinhas de celebração de “tempo de casa”, aniversariantes do mês, confraternização de final de ano e convescotes afins continuaram a todo vapor. Basta frequentar qualquer rede social de RH e reparar. Quando o assunto é o entendimento de uma questão legal da área trabalhista, proliferam participações e troca de opiniões e o interesse em entender o tema é notório. Agora, basta colocar um tema de Desenvolvimento para debate que a frequência de participantes é mínima com um ou outro comentário e, passados dois, três dias o assunto morre. 

Por que o povo de Desenvolvimento pouco debate? 

O empobrecimento do RH tem como ator principal o dirigente que nada exige e/ou desconhece o que poderia ser feito e como ator coadjuvante o RH passivo que acha ótimo quando o “chefe manda implantar o RH” e vai correndo pedir ajuda nas redes sociais.

O núcleo de Desenvolvimento de RH deve ser, essencialmente, um Facilitador (termo emprestado dos processos de gestão da qualidade) e possuir inteligência aguçada para todas as coisas.  

Deve fazer do conhecimento sua maior competência e estar sempre disposto à aquisição de novos saberes, à ampliação da criatividade e à percepção de ideias e novas oportunidades. Novos saberes podem propiciar a reformulação de conhecimentos anteriores mal estabelecidos. Deve participar ativamente da ampliação da competitividade da sua empresa, romper com passados que não retornarão mais, construir ambientes e cenários favoráveis ao seu crescimento e ao crescimento coletivo e abandonar comportamentos autoritários. 

Deve, ainda, aprender diariamente com os demais companheiros de trabalho, entendendo que a qualidade tem importância primordial para si e para a empresa. Deve aproveitar a mesmice e a escassa literatura e desenvolver novas concepções e metodologias em todos os sub sistemas de gestão de recursos humanos/pessoas. Fazer aflorar pensamentos novos. Desenvolver uma tese. Escrever um livro. Fazer acontecer!



quarta-feira, 27 de julho de 2016

Qual o conteúdo do Guia do Analista?

Antes de você adquirir, analise o conteúdo!

Índice
(275 páginas)
Entendendo e Aprendendo a Elaborar Descrição De Cargos

Descrição de Cargo – Conceitos e Estórias

Avaliação de Cargos – Conceitos e Estórias

Começando a pensar no seu projeto

Entendendo o significado da palavra Cargo

Descrevendo Cargos e Funções

Coleta de Informações

Modelos de Questionário para Levantamento de Funções

Entrevista

Elaboração ou revisão das descrições dos cargos

Padronização de Nomenclaturas

Grupos Ocupacionais

Entendendo o que é Cargo Amplo

O que são Competências Técnicas e Funcionais

Falando de Competências

Um projeto de Plano de Cargos, Carreiras e Salários tem seu início com a análise, diagnóstico e entendimento do negócio

Análise e classificação das Descrições dos Cargos

Avaliação de cargos

Coletânea de Atribuições de Cargos

Responsabilidades Típicas do Nível de Superintendente e Diretor executivo

Responsabilidades Típicas do Nível de Gerência e Diretoria

Responsabilidades Típicas do Nível de Chefes, Encarregados, Supervisores ou               Coordenadores

Exemplo de funções/atividades corporativas de cargos administrativos

Exemplo de funções/atividades corporativas de cargos de gestão

Exemplo de funções/atividades corporativas de cargos operacionais

Atribuições Típicas de Recursos Humanos 

Atribuições típicas de Contabilidade

Atribuições típicas de Crédito e Faturamento

Atribuições típicas de Finanças

Atribuições típicas de Auditoria

Atribuições típicas de Tecnologia da Informação

Atribuições típicas de Obras Civis

Operacionais – Diversos

Atribuições típicas de Cargos de Gestão

Apoio Administrativo diversas Áreas – Assistente Administrativo/Auxiliar

Administrativo

Entendendo e Aprendendo a Classificar e Avaliar Cargos

Um projeto de Plano de Cargos, Carreiras e Salários tem seu início com a análise, diagnóstico e entendimento do negócio

Análise e classificação das Descrições dos Cargos

Avaliação de cargos

Sistemas Abertos (Escalonamento, Graus Pré Determinados, Comparação por Fatores e Pontos)

Sistemas Fechados (Conhecendo a Metodologia Hay e Mercer)

Conceitos Básicos para a formulação de um Plano de Cargos, Carreiras e Salários

Vamos desenvolver um modelo de Classificação e Avaliação de Cargos e Salários pela Metodologia de Pontos

Elaboração da Pesquisa Salarial

Conceitos de Política Salarial

Projeto de Implantação de um Plano de cargos, Carreiras e Salários pela metodologia denominada “Cenários de Atuação”!

Exemplo de uma Política Salarial

Remuneração Variável e por Resultados

Práticas de Remuneração Variável

Falando um pouco de Remuneração por Competências

Patologia Salarial

Pesquisa Salarial: Comparando cebolas com bananas!

Quando o Profissional de Remuneração fica à beira de um ataque de nervos!

Sequência estruturada básica para a elaboração de um Projeto de Plano de Cargos, Carreiras e Salários

Regulamento Interno de uma Empresa: o que é e para que serve?

R$ 24,90 - OU 2 VEZES NO CARTÃO!

Está disponível para aquisição na plataforma da Hotmart no link abaixo:


Aprenda a arte do consenso!

Decisões por consenso são a base de um estilo gerencial legal e participativo. Consenso significa concordância geral. Existe consenso quando todos do grupo, líder e liderados, aceitam uma decisão. Mesmo que um dos membros acha que não é a melhor solução, acaba percebendo que é a melhor opção para o grupo.

Vantagens do consenso

Os grupos reúnem mais informações que os indivíduos. Os grupos decidem (resolvem problemas) melhor que os indivíduos na maioria das vezes. Decisões por consenso são geralmente mais acertadas e as pessoas se dispõem apoiá-las. Decidir por consenso permite que sejam ouvidos todos os interessados e que o grupo explore as discordâncias ao invés de evita-las. 

Consenso nas decisões possibilita a cada um

- Ouvir o ponto de vista dos outros;

- Considerar outras possibilidades;

- Participar dos trabalhos do grupo;

- Desenvolver espírito de equipe.


Algumas regras tornam mais fácil se chegar ao consenso

- Não imponha opiniões pela insistência;

- Não mude de opinião para fugir a confrontos e conflitos;

- Abandone o poder de mando durante o processo;

- Evite técnicas de redução de conflitos tais como: voto da maioria, média, negociação ou cara e coroa;

- Não manipule o grupo na direção de determinada decisão;

- Encare as diferenças de opinião como naturais e úteis e não como obstáculos;

- Respeite todas as opiniões sempre. Não ridicularize ninguém;

- Desconfie do acordo rápido.



terça-feira, 19 de julho de 2016

RH´s, olhem um pouco mais para o outro lado da mesa!

Transcrevo abaixo, uma mensagem na íntegra, recebida em uma Comunidade Virtual de RH. O autor comenta, sob o ponto de vista do candidato, alguns aspectos normalmente praticados em processos seletivos:

Flávio Pian





Já aconteceu isso com você?

- Ficar/estar disponível no mercado (desempregado) 

- Pesquisar/procurar, por horas e horas, vagas condizentes com o seu perfil

- Encaminhar currículos para as vagas/empresas que você realmente se encaixa

- Receber telefonemas de apenas algumas das empresas para perguntar-lhe sobre os seus conhecimentos (triagem)

- Responder/assegurar honestamente que os possui

- Diante da resposta positiva, marcar a entrevista

- Ficar feliz e, ao mesmo tempo, ansioso

- No dia da entrevista, deslocar-se, com qualquer meio de transporte, até a empresa

- Preencher uma ficha

- Responder um questionário

- Elaborar uma redação

- Realizar testes

- Na entrevista, contar toda a sua trajetória/experiência profissional (às vezes para mais de uma pessoa)

- Sair da empresa e voltar para casa, acreditando ter ido razoavelmente bem no processo

- Aguardar por alguns dias o feedback (positivo ou negativo)

- Tentar administrar a ansiedade depois de semanas sem este feedback

- Revoltar-se com todo este processo e acreditar que alguma coisa está errada

Sei que o assunto já foi amplamente discutido, mas, infelizmente, o problema ainda não foi corrigido. 

Não sei se você pensa como eu, mas acho que já passou da hora do profissional que pensa e/ou conduz este tipo de processo respeite um pouquinho mais o ser humano do outro lado da mesa, o candidato.

Campanha Viral: Acorda RH!!!


terça-feira, 12 de julho de 2016

12 hábitos que podem levar você a fracassar na vida profissional

Hábitos antigos são difíceis de se desapegar. No entanto, alguns deles são realmente muito tóxicos e devem ser cortados o quanto antes, ou sua vida profissional, financeira e afetiva pode ser um verdadeiro fracasso. Fonte: UOL Economia

A colunista do site "Business Insider" Áine Cain lista doze desses hábitos a seguir.

1 – Você fica calado

Você não fala suas opiniões, fica de cabeça baixa e nunca faz algo fora do esperado. Sua aversão a se projetar profissionalmente pode parecer uma boa medida de proteção, mas está atrapalhando sua vida.

Se você está em um emprego que desencoraja pessoas a tentar coisas novas, você está em um ambiente tóxico e pode ser melhor sair.

2 – Você é muito inquieto

Ser inquieto pode ser positivo em alguns casos. Mas tente limitar essa ansiedade em relação a outras pessoas. Isso faz você parecer muito impaciente e pode deixar seus colegas nervosos e desconfortáveis. É um mau hábito que espanta as outras pessoas.

3 – Você está sempre atrasado

Todos conhecemos alguém que está constantemente atrasado. Ou talvez você seja essa pessoa. Na sua carreira, no entanto, esse atraso não pode ser desculpado com uma mensagem engraçada em um grupo de amigos.

Chegar atrasado em qualquer coisa vai fazer você não passar uma imagem de confiança e sim de descuido.

4 – Você coleciona desafetos

Isso não significa que você precisa ser amigo de todo mundo o tempo inteiro. É normal não gostar ou não confiar em certas pessoas. Mas manter rancores intensos é simplesmente perda de tempo e energia.

Se você expressar esse sentimento para outras pessoas, ainda pode parecer uma pessoa vingativa e assustadora.

5 – Você faz o que os outros fazem também

Essa é uma boa estratégia de sobrevivência no colégio, mas você é um adulto com uma carreira agora. Pare de se importar tanto com o que os outros pensam e faça o que funciona para vocês. Se você gastar todo seu tempo tentando se misturar, nunca conseguirá se destacar.

6 – Você gasta mais do que devia

Se o seu dinheiro sempre desaparece sem perceber, você está no caminho de ter uma vida financeira complicada. Poupar é crucial para o seu futuro. Supere esse hábito e aprenda como poupar e investir seu dinheiro.

7 – Você procrastina

A indecisão pode fazer você perder tempo, dinheiro e até o respeito das pessoas que cercam sua vida. O melhor é sempre fazer as melhores decisões com seu tempo e não deixar para amanhã o que pode ser feito hoje.

8 – Você mente

Essa é bastante simples. Seja honesto. É fácil cair na armadilha de contar pequenas inverdades que viram uma bola de neve e se tornam grandes mentiras.

Quebre esse hábito. Claro que existem vários mentirosos que subiram na carreira, mas isso não significa que você precisa adotar esse estilo maquiavélico.

9 – Você fala sem pensar

É importante ser autêntico. Mas isso não significa que você deve sair falando tudo que passa pela sua cabeça. Esse é um hábito irritante e que pode fazer com que você pareça uma pessoa rude, desnecessária e mal informada.

10 – Você faz fofocas

Fazer fofoca é uma atitude mista. Em alguns casos é necessário e existem até empregadores que encorajam isso. Mas na maior parte do tempo, no entanto, esse é um hábito ruim e que tira o foco das pessoas.

Se você se tornou o fofoqueiro do seu escritório, precisa parar um pouco com isso.

11 – Você reclama demais

Reclamar chega a ser um esporte para algumas pessoas. Todo mundo tem algum problema ou situação que atrapalha. Ficar reclamando não ajudará nada na maioria dos casos. Não seja a pessoa que não para de resmungar sobre questões triviais.

12 – Você se afasta

Afastar-se pode ser um dom, em especial quando você quer esquecer o mundo e mergulhar em um bom livro. Mas esse hábito também pode atrapalhar muito seu desempenho no ambiente de trabalho.


Ouvir é uma habilidade importante e ninguém confia na competência de alguém que está distante demais.

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Tá certo que já deu falar do Steve, mas o cara sabia. Vamos lá, recordando!

7 lições de Ouro de Steve Jobs

Criativo, inovador, perfeccionista ao extremo e com um instinto de marketing digno de um pop-star, cada discurso de Steve Jobs é esperado com o um grande evento de cultura pop. Algumas de suas lições já entraram para a história:



1. “A inovação define líderes e seguidores”

A inovação só conhece um limite: a imaginação. Quem quiser ganhar um lugar de destaque tem que pensar de forma original, além dos quatro cantos do seu escritório. A inovação não precisa ser tecnológica, pode ser um novo meio de fazer as coisas, com mais simplicidade e eficiência, uma abordagem diferente em relação ao cliente, uma linha de design mais elegante.


2. “Seja um fanático pela qualidade. A maioria das pessoas não está acostumada a um ambiente onde a excelência é a regra”.

A excelência não admite atalhos. Para alcançá-la, além de estabelecê-la como prioridade, terá que empenhar tempo, talento, habilidades e dinheiro para alcançar aqueles dois passos a mais, que fazem toda a diferença.


3. “A única maneira de fazer um grande trabalho é amar o que você faz. Se você ainda não encontrou o trabalho que preenche seus sonhos, não se acomode. Com todas as forças do seu coração, saberá quando encontrar”.

Felicidade, sucesso e excelência se alcançam por quatro palavras: ‘faça o que ama’. Encontre a profissão que lhe dê um senso de profundo significado, direção e satisfação na vida, o que contribuirá não apenas para sua saúde e longevidade, mas também na maneira como vai enfrentar os tempos difíceis, quando vierem.


4. ‘Um conceito do budismo é ‘uma mente aprendiz’. É maravilhoso ter uma mente aprendiz’.

Uma mente aprendiz vê as coisas como são, e num relance pode perceber o significado real de atos e pessoas. Desenvolver uma mente aprendiz inclui observar o mundo e as coisas livre de preconceitos, julgamentos e fórmulas prontas, como uma criança que descobre o ambiente ao seu redor cheio de curiosidade e êxtase.

Sabe aquelas perguntas óbvias que as crianças fazem que não conseguimos responder? Aí está a mente aprendiz.


5. “Eu sou a única pessoa que eu conheço que perdeu 250 MILHÕES DE DÓLARES em um ano. É o tipo de coisa que molda um caráter”.

Não confunda cometer erros com ser um erro. Não há pessoa de sucesso que não tenha cometido erros na vida, e as que tiveram mais sucesso foram as que arriscaram mais, cometeram mais erros, aprenderam com eles e melhoraram sua performance. Steve Jobs, assim como Michael Jordan, seguiram este caminho.

Você pode encarar um erro como uma besteira a ser esquecida, ou como um resultado que aponta uma nova direção.


6. “Nós existimos para deixar uma marca no universo. De outra maneira, por que estaríamos aqui?”

Você já percebeu que temos coisas imensas a alcançar nesta vida, e estas conquistas futuras acabam sob o pó da rotina enquanto nos servimos mais uma xícara de café e nos enrolamos com nossas pequenas burocracias?


7. “Nosso tempo de vida é limitado, não o gaste vivendo a vida de outras pessoas”.

Não fique preso a dogmas, não deixe o ruído de outras pessoas vencer sua voz interior e, mais importante, tenha a coragem de seguir seu coração e intuição que, em algum nível, já conhecem a verdade. Todo o resto é secundário.

Você já cansou de viver os projetos e sonhos de outras pessoas? É da nossa vida de que estamos falando, e temos todo o direito de definir e percorrer nosso caminho individual, sem os grilhões ou sutis barreiras criadas por outras pessoas.

É preciso se dar a chance de nutrir suas qualidade criativas, livre de pressões e medos que, na maior parte das vezes, nós mesmos construímos ao seu redor.


Agora, que tal desligar o iphone e pensar nos seus sonhos?

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Motivação - O óbvio sempre está na sua frente e nem sempre o enxergamos!

Sabemos que ninguém, por si só, consegue motivar outras pessoas. O que se pode fazer é a construção de cenários para as pessoas se auto motivarem. O óbvio sempre está na sua frente e nem sempre o enxergamos. 



Tristan Caudron, em um estudo feito em várias organizações americanas, na fase de pós-reengenharia, identificou que os colaboradores ficaram desmotivados após perderem aquilo que mais gostavam de fazer dentro das organizações em que trabalhavam. E, após discutir amplamente com os dirigentes das organizações estudadas e especialistas no assunto, propõe uma lista de vinte técnicas que poderão ser aplicadas para resgatar e/ou manter a equipe motivada. 

São elas: 

1.               Dar aos colaboradores as informações necessárias para a realização de um bom trabalho.

2.               Dar feedback regular aos funcionários.

3.               Solicitar idéias aos colaboradores e envolvê-los em decisões sobre suas funções.

4.               Criar canais de comunicação fáceis de usar.

5.               Aprender com os próprios funcionários sobre aquilo que os motiva.

6.               Aprender quais são as atividades desenvolvidas pelos colaboradores quando eles dispõem de algum tempo livre.

7.               Cumprimentar pessoalmente o funcionário por um trabalho bem-feito.

8.               Reconhecer o poder de sua presença física em sua posição de gerente.

9.               Enviar uma mensagem escrita ao empregado, elogiando seu desempenho.

10.            Reconhecer publicamente um trabalho bem-feito.

11.            Promover reuniões destinadas a comemorar o sucesso do grupo.

12.            Dar ao empregado uma tarefa interessante para executar.

13.            Verificar se o empregado dispõe das ferramentas para realizar o melhor trabalho.

14.            Reconhecer as necessidades pessoais de funcionários.

15.            Usar o desempenho como base para a promoção.

16.            Adotar uma política abrangente de promoção dos funcionários.

17.            Enfatizar o compromisso da empresa com a manutenção do empregado em longo prazo.

18.            Estimular o sentido de comunidade.

19.            Remunerar as pessoas de forma competitiva, em função do que elas valem

20.            Dar aos funcionários uma razão financeira para serem excelentes. Isto pode incluir a participação nos lucros.

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Mais de 50 anos e ninguém te contrata ou chama para entrevistas? Qual é a solução?

 Perri Capell do DowJones


Segue um artigo escrito por americano para um público alvo americano. Porém, muita coisa legal pode ser extraída para você repensar seus projetos.

Recrutadores e gerentes de recursos humanos dizem que as seguintes abordagens e mudanças de pensamento podem ser úteis:

Perceba que a situação não é desesperadora (coisa difícil). A despeito do que os executivos maduros pensam, as empresas estão mais inclinadas a contratar os executivos mais velhos do que a maioria, diz Jean-Louis Alpeyrie, sócio sênior do executivo recrutador Heidrick & Struggles, em Nova York.

Estudos mostram que os trabalhadores mais velhos tendem a ser mais fiéis, detalhistas e confiáveis do que os jovens e estão ajudando a mudar atitudes, diz ele.

Considere o tamanho da empresa e tipo. Considere o que você pode conseguir e ir atrás dela. Se você é um executivos de nível médio com mais de 50, você terá a melhor sorte para encontrar um papel em uma pequena empresa do que em uma grande empresa, diz o Sr. Garcia. 

"Quanto maior a organização, mais difícil será para você entrar nela", diz ele. "
Mas você pode ser capaz de replicar o seu trabalho em uma empresa menor."

Richardson observa que empresas pequenas ou em empresas em transformação ou de ponta, como a Internet, dão menos importância aos níveis de idade e organizacional.

Ser a solução

Garcia observa que as empresas "não contratam pessoas, eles contratam soluções." Você terá mais sucesso se você mostrar como suas habilidades podem resolver problemas, do que, ao pedir para ser contratado, porque você tem uma lista impressionante de títulos, diz ele.

"A General Electric Co., onde eu trabalhava antes, não iria me contratar como diretor de RH, mas eles poderiam me contratar como recrutador porque eu poderia resolver esse problema para eles, e não teria que me preparar para a próximo trabalho ", diz ele.

Crie um currículo que faz você parecer ativo e realizado. Agrupe suas primeiras posições em uma categoria geral de experiência inicial, diz o Sr. Morin.

Ao descrever os trabalhos mais recentes sobre o seu currículo, diga o que você realizou e contribuiu, em vez de citar experiências, diz ele.

Fique a par da tecnologia

Thomas H. Bryant foi recrutado fora do cargo de CEO da StairMaster Sports / Medical Inc. em Kirkland, Washington, no ano passado para tornar-se presidente e COO da Tempur World, uma empresa de colchões em Lexington, Kentucky. Durante os 11 últimos anos, o Sr. Bryant, 53 anos, foi um presidente ou diretor executivo de várias empresas. Ele diz que nunca experimentou a discriminação de idade e acredita que os candidatos mais velhos têm valor se a sua experiência coincide com o cargo disponível. "Eu tento ficar com a tecnologia", diz ele, "porque todos nós sabemos que está mudando a cada dia." Além disso, por razões de saúde, ele se mantém em forma fisicamente.


Seja positivo

Os empregadores querem contratar pessoas com atitudes otimistas. Tire suas dúvidas sobre a empresa ou desafio em vez de falar de si mesmo, o Sr. Jaffe sugere. "Muitos dos meus amigos e colegas que estão desempregados tendem a ser negativos", diz Garcia. "Eles começam dizendo:
"Estou muito velho." Digo-lhes que, se eles agem assim, na entrevista, os empregadores irão ver que eles são negativos e podem achar que é por causa do trabalho. Ele está enviando uma mensagem errada e com certeza não será contratado. "

Richardson sugere pedir para ter seu pacote de remuneração estruturado de modo a que a maior parte da sua remuneração está na forma de incentivos baseados no desempenho. O pacote poderá ser reavaliado após provar o seu valor, diz ele.